Maior usina solar do país entra em operação em SC
18 de agosto de 2014 às 14:49

DCIM108GOPRO

Cidade Azul é a maior planta solar fotovoltaica em funcionamento no Brasil e ocupa uma área total de 10 hectares, com capacidade instalada de 3MWp na cidade de Tubarão. Foto: Tractebel Energia/Divulgação

Santa Catarina se destaca no mapa da energia solar do Brasil com o início da operação comercial, no dia 9 de agosto da Usina Fotovoltaica Cidade Azul, de propriedade da Tractebel Energia, localizada em Tubarão, no Sul do estado. Atualmente, é a maior planta solar fotovoltaica em funcionamento no País, ocupando uma área total de 10 hectares, com capacidade instalada de 3MWp (pico de incidência do Sol) e composta por 19.424 painéis. O nome Cidade Azul, que faz referência à forma como Tubarão é conhecida, foi escolhido pela população, via internet.

Concebida como uma Usina Experimental para fins de pesquisa, desenvolvimento e capacitação técnica, objetivo do projeto P&D Estratégico nº 013/2011 da ANEEL, no qual a Tractebel Energia é a proponente, a Usina Solar Fotovoltaica é resultado do investimento de aproximadamente R$ 30 milhões, dos R$ 56,3 milhões deste P&D. Conectada à rede de 13,8 kV da Celesc, a energia produzida tem capacidade para abastecer cerca de 2,5 mil residências.

Um dos objetivos do Projeto Geração Solar Fotovoltaica é conhecer o comportamento desta fonte na matriz elétrica, os custos envolvidos e o desempenho dos equipamentos implantados. “Acreditamos na energia solar como parte de um mix diversificado de energia e, hoje, é uma das que mais cresce no mundo. No Brasil, por exemplo, deve ser largamente aplicada nos próximos anos, e isso nos leva a conhecer bem essa tecnologia e sair na frente”, observa o presidente da Tractebel Energia, Manoel Zaroni Torres.

Para o gerente do projeto, engenheiro Maury Garret da Silva, analisar a tecnologia que se adapta melhor às condições climáticas do País é muito importante, pois o desempenho dos painéis varia conforme temperatura e umidade. “Na Usina, muitos equipamentos foram avaliados e testados antes de entrar em operação comercial, entre eles três tecnologias de painéis fotovoltaicos e cinco modelos de inversores.”

Maury explica que cada uma das três tecnologias de painéis fotovoltaicos (silício policristalino, silício amorfo microcristalino e CIGS) utilizadas tem 1 MWp de capacidade instalada. A silício policristalino é a mais consolidada mundialmente, contemplando cerca de 80% do mercado de energia solar, mas apresenta maiores perdas com o aumento da temperatura ambiente. Já o silício amorfo microcristalino, tecnologia de filme fino, é a que possui menores perdas com o aumento da temperatura. Por fim, a CIGS, é um filme fino que apresenta perdas intermediárias devido à temperatura entre as duas tecnologias.

Montada próximo ao Complexo Termelétrico Jorge Lacerda, ao lado da BR 101, o local foi estrategicamente selecionado pois recupera uma área de antigos depósitos de cinzas, provenientes da queima do carvão mineral das Termelétricas, contará com a sinergia de atividades dos nossos profissionais de Operação, Manutenção e Engenharia, além estar muito próxima das equipes de Pesquisa da UFSC e da sede da Tractebel Energia em Florianópolis. Do início da montagem até a operação comercial foram nove meses, com mais de 150 profissionais envolvidos diretamente nos estudos, projeto e implantação da Usina Solar Fotovoltaica.

 

© 2016 Economia SC - Todos os direitos reservados.
É permitida a reprodução dos conteúdos desta página em qualquer meio de comunicação eletrônico ou impresso desde que citada a fonte.